Breaking News

NOVISSIMOS BAIANOS 3

NOVISSIMOS BAIANOS 3

A cena musical baiana está com uma produtividade impressionante. Não é raro surgir uma boa novidade do nada, que nunca se tinha ouvido falar, feita por gente que não faz parte do cenário mais conhecido e que surgem apresentando trabalhos interessantes. As surpresas têm sido constantes, com bons nomes surgindo sempre e a seção Novíssimos Baianos do el Cabong tentando dar conta dessa produção. Já destacamos Maglore, Você me Excita, The Pivos, Opanijé, Os Barcos e Velotroz, na primeira edição, em julho de 2010. Na segundaem julho de 2012, os destaques foram Luiz Natureza, Nana, Suinga, Meu Amigo Pedro, Gepetto, Mr. Armeng, Gozo de Lebre, Lunata, Lívia Mattos e Dimazz. Se perceberam, a grande maioria deles continua em atividade e alguns já deixaram de ser novidade pra ser boas realidades da música baiana. Infelizmente também, muitas bandas desistem muito cedo. Mal gravam um CD e já abandonam a carreira, não insistem e ficam pelo caminho. Alguns insistem e descobrem caminhos, que são vários. Agora, nessa terceira edição, destacamos nomes de estilos variados, muitos nomes vindos do interior do estado e de níveis diversos, desde aqueles que nem fizeram shows ainda até outros com CDs gravados e até shows internacionais. Muitos outros poderiam e mereciam estar aqui, mas outras edições vêm por ai. Por enquanto conheça, descubra ouça e curta Os Jonsóns, Teenage Buzz, Uyatã Rayra & a Ira de Rá, Nalini, The Gins, Os Nelsons, Escola Pública e Van Der Vous.

OS JONSÓNSrock pop divertido
soundcloud.com/osjonsons
jonsons
Se você procura letras profundas, seriedade e algo super requintado, pule pra próxima. O papo aqui é diversão, descontração e rock da forma mais pura e sincera que pode existir. Com forte influência do rock gaúcho, em especial Jupiter Maçã e Cascavelletes, Os Jonsóns faz um rock que funciona em casa, mas é melhor mesmo ao vivo, em show, com o humor de Ulisses
Quem:Ulisses Salomão: Guitarra e vocal
Marco Aurélio: Baixo e vocal
Leonardo Leal: Trompete
Marcelo Bastos: Bateria
Influências: 
Cascavelletes, Júpiter Maçã, Graforréia Xilarmônica, Frank Jorge, João Penca e seus Miquinhos Amestrados
Fundação: 2006 – Salvador
Lançamentos: Lançaram o EP “Sem Agá”, em 2012, e no começo de 2014 outro EP, com 3 músicas novas. Recentemente lançaram do clipe da faixa “Batedora de Vinis”. Ouça e baixe o EP
Onde já tocaram: Com pouco mais de 20 shows na carreira, já se apresentaram ao lado de bandas veteranas como The Honkers e Os Miseravão, quase sempre no Dubliners Irish Pub. Foi uma das participantes do Festival Habemus Rock, que destacou novas bandas do cenário baiano. O  interior também tem sido uma aposta da banda, que já se apresentou três vezes em Feira de Santana e uma em Cruz das Almas, e agora está programando shows em Camaçari. Assim como o Nordeste, com um show marcante em Aracaju e, em 2013, e uma turnê programada para julho passando de novo pela capital sergipana, além de João Pessoa e Fortaleza.
Quem já está de olho: Foram destaque nos sites Soterorock e Bahia Rock Machine. Em sua coluna no Jornal A Tarde, e no blog Rock Loco, o jornalista Chico Castro Jr  resumiu o som da banda: “canções rock ‘n’ roll divertidíssimas, que lembram, com louvor, as derivações jovem guarda + psicodelismo que caracterizam o rock gaúcho”. Também foi destaque no Cena Independente, pelo el Cabong
O que vem por ai: A banda planeja um novo EP, com 7 músicas novas. Em seguida, ainda em 2014, soltam um disco físico com toda a discografia da banda, reunindo 16 músicas compiladas.
O que pensam do futuro: “A banda não tem ambição de viver da música, o que queremos é tocar nossas músicas, apresentar covers de artistas bons, mas desconhecidos por aqui. Tocar por aí, viajar e tocar, dar mais uma boa opção pra quem gosta de rock na cidade”.
Ouça Não Me Sinto Convidado

TEENAGE BUZZindie garage rock
tnb.art.br/rede/teenagebuzz

O nome já dá a pista, a Teenage Buzz é uma banda formada por cinco jovens de não mais de 20 anos que fazem um indie rock meio desleixado e cantado em inglês. Se fosse uma banda britânica já estaria hypada, tamanha a capacidade de criar canções bem formatadas, com cara de hit e que passeiam por algumas das influências mais bacanas do rock mundial. Melancolia, arranjos criativos, guitarras na medida e um tipo de vocal que anda fazendo falta no rock.
Quem:
Marcus Seadog: Vocal e guitarra
Rafael Freire: Guitarra e vocal
Leo Marinho: Baixo
Andrés Mayan: Bateria
Peter Rohenkhol: Teclado
Influências: 
Beatles, Velvet Undergound, Stooges, Tame Impala, psicodelia anos 60
Fundação: 2011 – Salvador
Lançamentos: O primeiro EP lançado em 2013 é o único registro da banda, que está finalizando um novo e pretende soltar ainda este ano. Ouça e baixe o EP
Onde já tocaram: Foram poucas apresentações ainda, cerca de 20 shows no currículo, mas já levaram seu som para bares como o Dubliners Irish Pub e Sunshine, e uma apresentação em Camaçari.
Quem já está de olho: Quem primeiro chamou atenção para o grupo foi o já lendário vocalista da banda The Honkers, Rodrigo”Bubute” Chagas. Depois disso, a banda passou a ser citada em alguns lugares, foi destaque no site  Soterorockpolitano e na coluna do jornalista Chico Castro Jr, no A Tarde, e em consequência em seu blog, Rock Loco. Sobre a banda ele disse” se tivesse poder para “hypar” algumas bandas locais, a Teenage Buzz seria uma delas.”
O que vem por ai: Até o final do ano, a banda pretende lançar um novo EP e viajar para shows pelo interior do estado.
O que pensam do futuro: “A gente faz isso porque gosta. Nós sabemos onde moramos, o tipo de música que se consome na cidade, que é difícil e tal. E se a gente visasse lucro não tocaríamos esse tipo de som. Acho que no futuro queremos continuar a tocar, fazer o que a gente gosta e, se por ventura der certo e tivermos retorno, será super bem vindo. Mas no principio é tocar, fazer as músicas que gostamos, conquistar público e divulgar o som para que chegue a pessoas que compartilhem os mesmos gostos”.
Ouça “With The Lights Out”

UYATÃ RAYRA & A IRA DE RÁexperimental
soundcloud.com/uyata-iradera
uyata
Direto de Feira de Santana vem um dos sons mais estranhos que se ouviu por aqui nos últimos anos. Não poderia ser diferente, já que a inspiração vem de alguns dos artistas mais criativos e inovadores espalhados pelo mundo e pelo Brasil. Uyatã Rayra é o cabeça do grupo responsável. Ele vem de alguns projetos anteriores com músicos mais experientes, mas foi se juntando a amigos que criou o grupo a Ira de Rá e vem fazendo um daqueles trabalhos que chamam atenção. Afrobeat, reggae, sons do nordeste, pop, ijexá, rock, baião, samba de roda, eletrônica com altas doses de experimentalismo e psicodelia. No palco, a loucura continua, com os músicos podendo aparecer fantasiados como figuras exóticas.
Formação: 
Uyatã Rayra: vocal
Ravel Conceição: guitarra
Ederval: baixista
Luís Henrique: baterista
Pedro Lucas: teclado
Influências: 
Heliocentrics, Karl Hector, Fela Kuti, Mulatu Astatke, Antibalas, John Coltrane, Herbie Hancock, Miles Davis, Itamar Assumpção, Tom Zé, Gilberto Gil, Naná Vasconcelos, Hermeto Pascoal e Nação Zumbi
Fundação: 2012 – Feira de Santana
Lançamentos: Lançaram o clipe da música “Princesa Comercial” em meados de 2013 e mneses depois, em dezembro, o Ep “Mórula”. Ouça o EP
Onde já tocou:  Ressonar Festival 2013 e 2014, em Lençóis, festa Manicômica em Cachoeira e em eventos como Senzalada, Feira Noise Festival 2012 e Grito do Rock 2014, em Feira de Santana. 
Quem já está de olho: O blog “Amplificador” do site O Globo, o site  “Alternativos”, o “Viva Feira”, entre outros. No el Cabong foi destaque numa das edições do Cena Independente e eleito entre os melhores álbuns de 2013.
O que vem por ai: “Bem… o grupo agora está numa fase reflexiva … Um bom prelúdio para qualquer ação!”.
O que pensam do futuro: “Gostaria que gravássemos um CD de 10 músicas com mixagem do Lee Perry e do Mad Professor, um clipe muito doido com direção do Gaspar Noé, um show no festival de Montreaux, um show com participação de Tom Zé, outro com Herbie Hancock com letras para as músicas do Sextant… Quereres…”.
Ouça “Amendoim”

NALINI
nalini.com.brfolk pop
nalini
Cantora, compositora e escritora, Nalini é daqueles nomes que poucas pessoas ainda conhecem, mas que mostram um trabalho bastante interessante e sem muita semelhanças com outros na Bahia. Ela tocava teclado em uma banda de pop-rock e decidiu encarar a timidez e a carreira solo. Entrou num estúdio com um dos principais produtores de Salvador, Jorge Solovera, e gravou suas primeiras músicas. O primeiro trabalho vai na linha folk, com violões, banjos e ukulelês, mas suas músicas passeiam também por western, bluegrass, pop e até sons dos anos 50. Responsável pelas composições, que tem quase todas as letras em inglês, a moça, que tem 38 anos, está a procura de uma banda para levar aos palcos suas músicas.
Quem:Nalini: Cantora e compositora
Influências: 
Jakob Dylan, Camera Obscura, Yael Naim, Eddie Vedder, Little Joy e U2
Fundação: 2006 – Salvador
Lançamentos: O primeiro EP, “Unless”, foi lançado em julho de 2013 com 5 músicas. Ainda este ano solta um novo, agora com oito músicas e mais uma vez com produção de Jorge Solovera. Ouça e baixe o EP
Onde já tocou: A cantora tem um trabalho tão novo que ainda nem montou uma banda para acompanhá-la, muito menos fez algum show.
Quem já está de olho: Da mesma forma, ainda é um trabalho muito desconhecido e pouca gente falou a respeito.
O que vem por ai: Com novas músicas compostas, pretende lançar um novo trabalho e o primeiro videoclipe, além de começar a fazer apresentações com o material lançado.
O que pensam do futuro: “Pretendo continuar gravando e compondo, quem sabe chegar a um CD, o que virá é consequência pois o processo de criar é que é muito gostoso”.
Ouça Unless

THE GINSgarage rock sessentista
tnb.art.br/rede/theginsthe-gins2

Vinda de Cruz das Almas, uma cidade que se autodenomina (pelo menos parte dela) como cidade do rock, a The Gins traz o espírito e a sonoridade dos anos 60, incluindo os sons garageiros do período, com referências também ao Brit Pop. É rock a base de canções, com doses certas de tempero pop, melodias doces e pegajosas, mas que guardam um certo tom melancólico e guitarras dando o tom. Cantado em inglês, com excelentes referências (note o sugestivo nome da música escolhida), corinhos, falsetes, apuro com a harmonia e arranjos bem feitos. Ainda bastante novos, burilando mais podem ter um belo caminho pela frente.
Quem:
Clélio Lemos: Voz e tambourines
Caio Braga Sant’Anna: Voz e guitarra
Peu Fernandes: Baixo
Dinho: Bateria
Influências: 
Beatles, Beach Boys, Kinks, Zombies, Phil Spector, Roy Orbison, Turtles, Brit Pop
Fundação: 2011 – Cruz das Almas
Lançamentos: Depois de soltarem faixas soltas na internet, a banda lançou o  primeiro clipe e disco de estreia “Meet The Gins”, em 2013.
Onde já tocaram: Para uma banda de rock de uma cidade relativamente pequena, a banda até que já tocou bastante. Foram 17 shows no total, a maioria na própria cidade, com destaque para o Festival Recôncavo Rock Pop, mas também apresentações em Cachoeira e Conceição do Coité. Além de um show em Salvador, dentro do Festival Habemus Rock.
Quem já está de olho: Ainda não ganharam tanto destaque, até por circular pouco, mas o blog On the Rocks os elegeu como melhor disco, show, capa, música, clipe e banda revelação de 2013.
O que vem por ai: A banda deu uma diminuída nas atividades, mas pretende voltar e recomeçar gravando novas músicas e preparar um  novo disco, sem muitas pretensões, totalmente lo-fi.
O que pensam do futuro: “A gente pensa em conquistar o mundo. Queremos trabalhar, tocar, mostrar a nossa música pra o máximo de gente que a gente puder”.
Ouça “Revolution 9 (A.M.)”

OS NELSONSmúsica moderna baiana
soundcloud.com/os-nelsons


Vindo de Paulo Afonso, uma cidade pouco conhecida pela tradição musical, o grupo Os Nelsons foi formada em 2010, mas só em 2013 começou a aparecer e chamar atenção pela surpreendente sonoridade. Misturando sons contemporâneos periféricos com ritmos diversos, une raggamuffin, música regional, rap, dancehall, eletrônica, samba reggae e afrobeat numa levada cheia de personalidade que dialoga com o que há de mais moderno na Bahia atualmente. À base de guitarra, baixo e programações e com um vocalista ligado na tomada, o grupo já levou sua música para Europa e está lançando o primeiro CD.
Quem:
Raoni Torres: Voz
Ericson Feitosa: Guitarra
Barata Bass: Baixo
Rafa Dias: Dj e programações
Influências: 
BaianaSystem, Bembatrio, Asian Dub Foundation
Fundação: 2011 – Paulo Afonso
Lançamentos: Um EP lançado em 2011, seguido do primeiro CD, “Digital”, produzido por andré t e lançado em 2013. Ouça e baixe o CD
Onde já tocaram: Tendo circulado por algumas capitais brasileiras, incluindo Salvador,já fizeram duas turnês pela Inglaterra, tocando em cidades como Manchester, Bristol e Londres.
Quem já está de olho:
Foram destaque na coletânea Brazilian Bass Culture & Beyond, difundida em 48 rádios de Estados Unidos, Canadá e Europa. Também ganharam destaque nos jornais A Tarde e Correio*, no programa Mosaico Baiano, entre outros.
O que vem por ai: Agora que fixou residência em Salvador, o grupo trabalha para realizar mais shows na capital e conquistar um público maior. Além disso, já estão com um EP em processo final de produção. Um disco cheio deve ser lançado em 2015.
O que pensam do futuro: “Com tudo que está acontecendo na Bahia (axé morrendo, a música independente se estruturando), acreditamos estar num bom momento e isso é o que projetamos para daqui 5 anos, ter uma estrutura legal pra todos esses projetos que tão vindo do submundo da Bahia, como O Quadro, Opanijé, Braunation, IFÁ e etc.”.
Ouça “A Nossa Gang Chegou”

ESCOLA PÚBLICA
samba
soundcloud.com/bandaescolapublica

O Recôncavo baiano é o berço do samba e Cachoeira é uma das cidades mais musicais da região. Vem de lá este grupo que faz puramente samba. Com um bom humor mesclado a crítica social, a banda faz um autêntico samba, mas sintonizado com os tempos atuais, seja nos tempos, seja na sonoridade, com uma pegada contemporânea.
Quem:
Pedro Patrocínio: Vocalista e cordas
Ícaro de Oliveira: Cavaquinho
Breno Tsokas: Baixo
Lucas Pereira: Bateria
Camillo Alvarenga: Pandeiro
Mbéni Waré: Backing vocal
Almir Lima: Sax
Influências: 
Tom Zé, Bezerra da Silva, Nelson Cavaquinho, Novos Baianos, Batatinha, Riachão, Ederaldo Gentil, Pink Floyd, Mundo Livre S/A, Nação Zumbi e Jorge Ben
Fundação: 2008 – Cachoeira
Lançamentos: A banda lançou um CD intitulado “Escola Pública” em 2011 e um outro recentemente, batizado como “O Plano Cartesiano do Deus Enganador”. Lançou também três videoclipes, o primeiro da música ‘Socorro Meu Deus’, finalista do Festival Nacional de Cinco Minutos e exibido em mostras pela Europa e América Latina, além de dois esse ano das músicas ‘Terram Transe’ e ‘Todo Risco’. Baixe e ouça os CDs.
Onde já tocaram: A banda já se apresentou em diversos evento e cidades pela Bahia, com destaque para shows na própria Cachoeira e em Cruz das Almas, Vitória da Conquista, Jequié, Salvador, Feira de Santana, Tucano, entre outras. Também se apresentaram em Minas Gerais, com shows em Belo Horizonte, Ouro Preto e em Sete Lagoas. Entre os eventos, passaram pela IX e X Bienal do Recôncavo, Intercenas Musicais, CachoeiraDoc (2010, 2011, 2013), Feira Noise Festival (2011 e 2012), Senzalada (2010 e 2011), I FeMIRB(Festival de Música Independente do Recôncavo da Bahia), Grito Rock 2012, Micareta de Feira de Santana 2012 (Circuito Oficial), entre outros.
Quem já está de olho: Já foram destaque em matéria no Jornal A Tarde, entrevista na Tribuna da Bahia, além de diversos sites e blogs  com foco na música independente.
O que vem por ai: A banda já está trabalhando num novo CD, que deve ser lançado em 2015. As músicas já estão todas compostas e em fase de arranjos finais. Dois novos videoclipes também estão nos planos e serão lançados ainda este ano. No quesito shows, a banda pretende se apresentar por cidades do interior do estado e pelo Nordeste nos próximos meses, mas também está nos planos apresentações fora do país. Para isso estão fazendo uma espécie de financiamento coletivo independente com ajuda de amigos e fãs.
O que pensam do futuro: “Para um futuro próximo o mais projetamos é o fortalecimento dentro da cena musical independente do interior da Bahia, e o fortalecimento desta própria cena.Nossa ideia é continuar compondo e produzindo musica autoral, circulando pelo mundo afora tocando, que é o que mais gostamos de fazer. Nesta trajetória de cinco anos fizemos em torno de 200 apresentações e nossa projeção é que este número cresça junto com a banda.”.
Ouça “Socorro Meu Deus”

VAN DER VOUS
rock psicodélico
http://vandervous.com
van-der-vous3_foto-joc3a3o-cardoso
Uma daquelas bandas improváveis, que em tão pouco tempo de existência, com um nome estranho e uma história de gravações caseiras e amadoras, conseguiu um resultado surpreendente. Ensaios sucessivos e gravações feitas num estúdio montado no quarto do baterista, com produção feita na base da tentativa e erro pelo próprio guitarrista e vocalista da banda, que se dividia entre trabalhar em Aracaju e gravar nos fins de semana em Salvador, rendeu um EP. Mais amadurecida entraram num estúdio e gravaram o primeiro CD. Novíssima e cantando em inglês, a banda faz uma aposta alta numa vertente pouco explorada por aqui, rock psicodélico, e mostra uma impressionante capacidade melódica, na criação de nuances e de uma atmosfera viajante que remete a ótimas referências do rock mundial. O nome é um misto de holandês “Van Der = Vem de ” e francês  “Vous = Você”, ou “Vem de Você”.
Quem:
Vitor Matos: Vocalista e guitarrista
Nal Gomes: Baixista
Charles Silva: Baterista
Xunga: Guitarrista
Influências: 
Tame Impala, Jefferson Airplane, Cream, Jimi Hendrix, The Doors, The Beatles, Pink Floyd, The End, Nazz, The Brian Jonestown Massacre, Radiohead e Air
Fundação: 2012 – Salvador
Lançamentos: Um EP, chamado “High”, com duas músicas e um vídeo ao vivo da músicas ‘Mind Changes’, e o recém lançado CD ‘La Fuga’, com dez músicas. Ouça o CD
Onde já tocaram: A banda é tão nova que não fizeram mais do que dez apresentações ainda. Entre os shows estão a estreia na Praça Teresa Batista, no Pelourinho, além de outros no Dubliners Irish Pub e em uma edição do projeto Faustão Falando Sozinho.
Quem já está de olho: O site Soterockpolitano destacou a banda com comentários como esses: “O power trio surpreende com um som viajante e pulsante, sem soar monótono.(…) Boa novidade em terras baianas, a banda Van Der Vous traz em seu primeiro single uma boa dose de psicodelismo inglês capaz de levar o ouvinte para outros lugares com texturas de sons bem criadas e uma cozinha firme (…) é impossível não reconhecer o potencial melódico dos músicos”
O que vem por ai:
Depois de lançar o disco na internet, o plano agora é terminar a masterização com um produtor de Seattle e lançar o CD físico. Além disso, finalizar o primeiro clipe da banda, e tocar bastante, incluindo uma turnê por cidades nordestinas.
O que pensam do futuro: “Pretendemos gravar nossas músicas, clipes, fazer nossa arte do nosso jeito, e que as pessoas certas apreciem nosso som. Por mais que vivemos na cidade do “axé”, não nos sentimos intimidados. Acho que como todo artista, pretendemos ganhar total liberdade artística para produzir e viajar o mundo, participar de festivais tanto aqui no Brasil como no exterior. Acredito que a pedra no nosso caminho é o tempo/ dinheiro para desenvolver nossa arte. Mas não paramos, estamos só começando neste mundo tão vasto da arte”.
Ouça “I Get High”
Poderá também gostar de:
- See more at: http://www.elcabong.com.br/novissimos-baianos-3/#sthash.6En9lq59.dpuf

Nenhum comentário