#seliga UM PAULOAFONSINO no TRILHO do ROCK Banda Guerrilha surge com atitude no cenário musical brasileiro

Banda Guerrilha surge com atitude no cenário musical brasileiro
Por Marcos J. T. Oliveira
Quatro integrantes com cara de bad boys, gosto irrestrito pelo rock e muita inspiração para letras profundas e politizadas. É o caso da Guerrilha, banda paulistana revelação de rock independente. O grupo optou por refletir em suas composições a tônica do que acontecia no cotidiano e deixou de lado a mesmice das melodias cheias de personagens com amores não correspondidos, traições e choradeira.
E nada começou ontem! O quarteto está junto há mais de 10 anos e construindo uma carreira no circuito do rock underground de São Paulo, região metropolitana e interior paulista. Os componentes são Kbça (vocalista), Jimmi (guitarra), Punk (baixo) e Nicolas (bateria). Na bagagem de uma década muitas passagens por eventos, festivais e casas de show com destaque para Hangar 110, Tribe House, Manifesto Bar, Alcatraz, Sattva, Cervejazul, Feeling Music Bar entre muitas outras.
As travessias do centro de São Paulo serviram como cenário para as fotos dos integrantes da Guerrilha. Da esq p/ dir: Nicolas, Punk, Jimmi e Kbça
As travessias do centro de São Paulo serviram como cenário para as fotos dos integrantes da Guerrilha. Da esq p/ dir: Nicolas, Punk, Jimmi e Kbça
Nesse período, Guerrilha já teve o privilégio de tocar ao lado de bandas renomadas como a chilena Humana e as brasileiras Dance Of Days, Hardneja Sertacore, Skarrapatos-ko, Cuieo Limão e Inocentes. Quem já aprecia a sonoridade de Rage Against The Machine, Planet Hemp, Faith No More, At the Drive in e Inocentes conhecerá imediatamente a pegada da galera.
A apresentação oficial do grupo é um mix entre várias gerações, ou seja, uma pitada do rock pós anos 2000 com um toque dos 80 nas letras poéticas e um som marcante da década de 90. Junte a isso na hora de apreciar as canções algumas referências diversas do punk rock, H.C., funk o’ metal, new metal, rap e grunge.
Nas letras mais densas destaca-se o tom mais político e social.  O momento político que o Brasil vive hoje já era um cenário que a Guerrilha discutia e usava em suas letras de protesto. Uma marca explícita que a banda quer passar.
Novo Álbum: “SANGUE LÁGRIMA E SUOR”
“SANGUE LÁGRIMA E SUOR” é o primeiro álbum da Guerrilha e produzido com muito cuidado e dedicação reunindo as melhores canções criadas e aperfeiçoadas durante os mais de 10 anos de todo um engajamento artístico. As 12 faixas da obra foram preparadas durante quase dois anos de gravação. O arranjo e produção final tem a assinatura de Daniel de Sá, do Estúdio GR, com sede na zona Norte da capital paulista.
Capa oficial do álbum "SANGUE LÁGRIMA E SUOR"
Capa oficial do álbum “SANGUE LÁGRIMA E SUOR”
Kbça (Thiago Araujo) revelou que está na estrada há muito tempo e o lançamento oficial do primeiro CD teve um fato marcante. “Temos nossa identidade musical e lançar o CD no dia 31 de março foi algo único, pois a data nos remete ao golpe militar de 1964 e início da Ditadura”, afirmou Thiago ao Redescobrindo.
Os destaques ficam para a faixa título do álbum que dá nome à banda, “Guerrilha” – composição acompanhada por um clipe que pode ser visto no Youtube -, “Tráfico de influência” e “Rota de Fuga”. “No dia 13 de junho de 2013 em meio a violenta manifestação contra o aumento das tarifas eu (KBÇA) encontrei o meu amigo Vitor Miranda, diretor do clipe, captando imagens do ocorrido, em meio a todo aquele campo de batalha que se tornou o protesto, não tive dúvidas em convidá-lo a fechar uma parceria que resultou neste clipe”, apresenta o vocalista da banda no vídeo da rede social.
Quem é quem?
Os membros têm nome e identidade e cada um com histórico e profissões diferentes, mas a música e a paixão pelo rock’n roll é algo único e que os une. Dos quatro integrantes da Guerrilha, Kbça e Punk são os únicos mantidos da formação original, sendo que dois (Punk e Jimmi) também dedicam-se a projetos musicais paralelos.
Kbça, vocalista
Kbça, vocalista
Kbça: o vocalista é o paulistano Thiago Araújo. Criado na região do Jaçanã, sempre se viu influenciado pela música dos anos 80/90 e aos 15 anos pediu um violão como presente de aniversário. Ingressou na Universidade Livre de Música Tom Jobim, mas abandonou o curso para formar a banda Guerrilha junto com o amigo de infância Punk. Araújo é formado em Filosofia pela Universidade de São Paulo e pós-graduado em Filosofia e Educação pela UNESP. Atualmente ainda cursa história na USP – onde integra o Diretório Central dos Estudantes -, é servidor público na Secretaria de Planejamento e Gestão do Estado de São Paulo e professor-fundador do Sarau do Tião, que ocorre na Escola Sebastião Bueno, Vila Medeiros, em São Paulo.
Punk, baixista
Punk, baixista
Punk: O também paulistano Anderson Guarde é baixista e desde pequeno foi influenciado pela música na família. Como o irmão, Anselmo Guarde, integra a renomada banda Inocentes (precursora do movimento punk nacional), sempre teve muito apoio. Daí aprendeu a estética e a ideologia musical do punkrock e surgiram as primeiras notas de contrabaixo. Na adolescência descobriu seu lado autodidata e tocando junto com Kbça, aprimorou seu conhecimento musical teórico e técnico. Os dois passaram da aprendizagem de músicas muito conhecidas às próprias composições. Um sinal da identidade embrionária do que, mais tarde, viria a ser a Guerrilha.
Jimmi, guitarrista
Jimmi, guitarrista
Jimmi: Morador da Zona Leste, o guitarrista Emerson Feitosa dos Santos é natural de Paulo Afonso (BA) e começou na música em 2001 participando de projetos de rock’n roll e de músicas populares até sua vinda à São Paulo. Por aqui passou a estudar Jazz & Bossa Nova, mas as dificuldades financeiras e a necessidade de um emprego o afastaram deste foco musical. Mantendo projetos paralelos no segmento, foi numa apresentação coletiva que conheceu a Guerrilha. Os integrantes da banda perceberam sua desenvoltura performática e técnica com que conduzia magistralmente a guitarra e no mesmo dia o convidaram a ser o mais novo membro. Isso só aconteceu literalmente após um ano quando Guerrilha estava gravando o álbum SANGUE LÁGRIMA E SUOR”. 
Nicola, o batera
Nicola, o batera
Nicolas: o batera da Guerrilha, é o único que usa o mesmo nome. Registrado como Nicolas dos Santos Pereira, também nasceu em São Paulo e desde pequeno foi incentivado pelo pai a aprender violão e contrabaixo, mas foi na bateria onde encontrou sua vocação. Aprendeu a tocar o instrumento jogando “Guitar Hero” com pads de simulação eletrônicos. Desde então, desenvolveu uma precisão e coordenação de forma autodidata, inclusive adquirindo experiência de estúdio participando da gravação do álbum da sua banda anterior. Foi convidado a integrar a Guerrilha por convite de Punk, pois em um de seus projetos musicais paralelos se conheceram e tocaram juntos!
Após conhecer um pouco mais da banda de rock Guerrilha -que apresenta o novo álbum “SANGUE LÁGRIMA E SUOR”, vale a pena apreciar as músicas do quarteto. O disco todo pode ser ouvido em todas as plataformas de streaming e também está disponível na versão física.
Serviço:
Banda: Guerrilha (São Paulo/SP)
Fotos: Divulgação e Página Oficial no Facebook
Contatos para shows: (11) 2240 – 9518 e (11) 98414 – 6070
E-mail: thiagoguerrilha@hotmail.com
Site: www.bandaguerrilha.com.br
Redes Sociais: youtube.com/bandaguerrilha | facebook.com/guerrilhabandaOnde encontrar e ouvir: 1) Site 2) Spotify e 3) iTunes

Vem com SELIGANAMUSICA

Desde já somos gratos a todos vocês ouvites e visitantes do nosso portal, e pedimos que fiquem avontade para deixarem a sua opinião através dos seus cometários, e lembrar a todos que aqui em nosso portal vamos sempre estar publicando os melhores conteúdos sobre cultura, música, arte e literatura.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários :